CIRCULAÇÃO DE CONHECIMENTO E CULTURA ENTRE A ALEMANHA E O BRASIL: RECEPÇÃO POR TOBIAS BARRETO E SÍLVIO ROMERO/ THE SHARING OF KNOWLEDGE AND CULTURE BETWEEN GERMANY AND BRAZIL: THE RECEPTION BY TOBIAS BARRETO AND SÍLVIO ROMERO

Thaís Janaina Wenczenovicz, Ricardo Gaulia Borrmann

Resumo


Este trabalho analisa a recepção cultural da cultura política alemã em suas relações com a cultura política brasileira, a partir de um enfoque da história cultural (e das ideias), com base nos processos de circulação de ideias e apropriação cultural por Tobias Barreto e Sílvio Romero. A recepção no Brasil destes autores é verificada a partir dos intelectuais do campo jurídico no Brasil, bem como das discussões em torno da Constituição brasileira de 1934. Para tanto, utiliza-se das mediações e interrelações culturais presentes nesse processo, bem como no campo das ideias onde o processo é mediado pela tradução e apropriação de múltiplas culturas políticas. O procediemento metodológico utilizado é o bibliográfico-investigativo – com uso de fontes disponibilizadas em acervos bibliográficos da Sessão de Obras Raras da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro e da Biblioteca do Tribunal de Justiça (TJRJ) e arquivos públicos e bibliotecas da Alemanha.

Palavras-chave


Alemanha; Brasil; circulação de conhecimeto; Cultura; Tobias Barreto; Sílvio Romero.

Texto completo:

141-157

Referências


BARRETO, Tobias. Monografias em Alemão. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1978.

CÉSAR, Constança Marcondes. Sílvio Romero e a Escola do Recife. In: Actas do III Coloquio Tobias Barreto. Instituto de Filosofia Luso-Brasileira, 1996. p. 299-302.

CHACON, Vamireh. Da Escola do Recife ao Código Civil. Rio de Janeiro: Organizações Simões Editora, 1969.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder. 3 ed. Rio de Janeiro: Globo, 2001.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala. Rio de Janeiro: Editora Record, 1998.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. Coleção Documentos Brasileiros. Prefácio de Antônio Cândido. Rio de Janeiro:José Olympio, 1987.

MORAES FILHO, Evaristo de. O pensamento político-social de Sílvio Romero. In: ROMERO, Sílvio. Realidades e ilusões no Brasil: parlamentarismo e presidencialismo e outros ensaios. Petrópolis: Editora Vozes, 1979.

PONTES, Heloísa. Círculos de intelectuais e experiência social. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais, 12, 34, 1997.

RANCIÈRE, Jacques. O conceito de anacronismo e a verdade do historiador. In: SALOMON, Marlon (Org.). História, verdade, tempo. Chapecó: Argos, 2011.

ROMERO, Sílvio. Uma esperteza: os cantos e contos populares do Brasil e o Sr. Theophilo Braga. Protesto por Sylvio Roméro. Rio de Janeiro: Tipografia da Escola, de Serafim José Alves, 1887.

SALDANHA, Nelson. Filosofia do Direito. In: FRANÇA, R. Limongi (Coord.). Enciclopédia Saraiva do Direito. São Paulo: Saraiva, 1977, v. 37, p. 358-362.

______. A "Escola do Recife" na evolução do pensamento brasileiro. In: CRIPPA, Adolpho (Coord.). As idéias filosóficas no Brasil-séculos XVIII e XIX. São Paulo, Convívio, 1978. p. 81-114.

STEINER, Renata Carlos. A “formação da alma” da cultura jurídica brasileira: da criação dos cursos jurídicos à Escola do Recife. In: Revista Captura Críptica: direito, política, atualidade. Florianópolis, n.3, v.1, p. 165-190, jul./dez. 2010. Disponível em: http://www.ccj.ufsc.br/capturacriptica/documents/n3v1/parciais/10.pdf. Acesso em 06 de junho de 2017.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In: RÉMOND, René. Por uma história política. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

SÜSSEKIND de Mendonça, Carlos. Sílvio Romero. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, Serviço de Documentação, 1963.

TEIXEIRA, Anísio. Ensino superior no Brasil: análise e interpretação de sua evolução até 1969. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1989.

VENANCIO FILHO, Alberto. Das arcadas ao bacharelismo. São Paulo: Editora Perspectiva, 1982.

WOLKMER, Antônio Carlos. Introdução ao pensamento jurídico crítico. São Paulo: Acadêmica, 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.